terça-feira, 30 de setembro de 2008

Pelas salas de aula da PUC...

quem sabe um dia eu aprenda, Carlos... quem sabe?
(croqui do meu projeto 5... 2001???)

Diálogo recorrente nas minhas aulas de Representação Gráfica, com o professor Carlos Hubner...

Ele parava ao meu lado, ficava olhando o meu suado desenho, o desenho de um cara que não nasceu com o dom, olhava bem sério... quase com o olhar do Celso Roth pro juíz que roubou o Grêmio e dizia:

-Guri, tu gosta de desenhar?

Sim!

-E por que não aprende?


E saia ele rindo... toda semana era a mesma coisa... até que eu na sapiência dos meus 19 anos resolvo acabar com a brincadeira dele...

-Guri, tu gosta de desenhar?

Não, eu acho uma merda ter que ficar fazendo esses desenhos.

-Se percebe...


E saia ele rindo...

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Postal de Arquiteto - City Hall :: Londres

Vista interna do London City Hall, do Lord Foster.

http://www.london.gov.uk/gla/city_hall/index.jsp
http://www.fosterandpartners.com/Practice/Default.aspx

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Livros...

Atendendo à pedidos o Fernando Lara postou ótimas indicações de livros no Parede de Meia... (http://parededemeia.blogspot.com/2008/09/livros-e-mais-livros.html); o Alberto aumentou a lista no Architecture (http://www.architecture.blogger.com.br/) e eu dou minha contribuição com mais 5 livros que eu gosto ou gostei...



Minha lista é menos densa que a do Alberto e do Fernando, com menos valor acadêmico também, mas são livros bacanas que listo sem qualquer tipo de ordem:

• Vidas Construidas - Anatxu Zabalbeascoa e Javiar Rodríguez Marcos
Esse livro é diversão garantida ou seu dinheiro de volta... biografias que revelam detalhes inusitados da vida de grandes arquitetos.

• A modernidade superada - Josep Maria Montaner
Como disse o Fernando, uma leitura precisa do modernismo tardio.

• A revisão do movimento moderno - Sérgio Marques
Um registro da arquitetura do anos 80, enfatizando a produção gaúcha neste período de revisão e experiência.

• Precisões - Le Corbusier
Conferências e apontamentos do seu Corbu... dispensa maiores comentários.

• Depoimento de uma geração - Alberto Xavier (org)
Uma reunião de textos publicados no Brasil da década de 20 até meados da década de 70, escritos por arquitetos e outras pessoas identificadas com o movimento moderno... leitura quase obrigatória.

Atualização:
O Ricardo Rossin também entrou nessa e contribuiu:
http://ricardorossin.blogspot.com/2008/09/livros-e-mais-livros.html

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Postal de Arquiteto - Arche de la Défense :: Paris

Seguindo a séria-série...

Detalhe do Arche de la Défense em uma cinza tarde parisiense...

Projeto do dinamarquês Johan Otto von Spreckelsen que faleceu em 1987, dois anos antes do término desta obra.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Causos arquitetônicos... (4) - Oscar Punhos de Hormigón Niemeyer


O causo de hoje trata de uma polêmica que já foi tri discutida: a maneira como Niemeyer se promoveu (será no passado mesmo?) oferecendo importantes projetos sem custo algum para prefeitos, governadores, entidades...

Para aqueles que não sabem bem do que estou falando sugiro que antes que prossigam a leitura deste causo, que leiam a "Carta aberta ao arquiteto Oscar Niemeyer", escrita pelo Sylvio Podestá em 2003.

Pois bem, 50 anos antes do Podestá escrever seu justificado desabafo, em 1953, a Prefeitura de São Paulo abriu um concurso de projetos para a construção do Paço Municipal, vários arquitetos concorreram, mas o concurso foi dado como encerrado sem escolha de vencedores... Niemeyer, então com 45 anos, não havia participado do concurso, mas ofereceu gratuitamente um projeto para a Prefeitura e esta convocou a imprensa para a apresentação do mesmo na Câmara Municipal...

O jornalista Geraldo Ferraz esteve presente nesta apresentação e no dia seguinte escreveu na seção "Arquitetura e Urbanismo" do Diário de S. Paulo que considerava a atitude do arquiteto carioca uma falta de ética e um desrespeito aos colegas paulistas... depois da publicação dessa nota, e da polêmica trazida por ela, o projeto do Niemeyer não foi adiante.

Passados alguns anos, 1961... pela escrita do próprio Geraldo Ferraz, extraído do seu livro "Depois do Tudo":

"...fui alcançado por um Volkswagen, que parou do lado direito, e dele saiu, gritando comigo, o arquiteto Oscar Niemeyer: Geraldo Ferraz! Há oito anos trago atravessado na garganta um artigo teu contra mim. Por isso vou te pegar agora! E você nunca mais se atreverá a escrever sobre a minha arquitetura! Avançou, então, em nossa direção com o braço erguido, e quase a dois passos lançou-nos um soco que aparamos, com o punho esquerdo, esperando que ele voltasse a atacar. Repelido em seu impulso, Niemeyer quase perdeu o equilíbrio, e voltou ao meio da rua. Dali, dava ponta-pés no ar, espumando e gritando..."*

Geraldo Ferraz ainda cita uma desavença do Niemeyer com o Rino Levi, mas isso fica para outro causo...


* Se encontrarem o livro do Geraldo Ferraz, Depois de Tudo, além deste episódio há outras memórias de quando o Brasil era moderno.... editora Paz e Terra.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Postal de Arquiteto - Scheepvaart en Transport College :: Rotterdam

Vou iniciar uma nova séria-série no blog.... mais uma que certamente vai começar e nunca vai terminar...

Arquitetos tem mania de viajar e fotografar prédios... eu tenho bem mais fotos de prédios nas minhas viagens do que fotos minhas... e as que eu tenho minhas, bem... são na frente de prédios...

Por isso a nova série vai ser dedicada simplesmente a registrar algumas dessas minhas fotos de viagem... e creio que o Gabrielito vai colaborar também.

Para inaugurar a série, o Scheepvaart en Transport College da portuária Rotterdam, projetado pelo escritório dos arquitetos Willem Jan Neutelings e Michiel Riedijk, autores de várias coisas bacanas pelos países baixos.

Mais informações:
Scheepvaart en Transport College: http://www.stc-r.nl/
Neutelings Riedijk Architects: http://www.neutelings-riedijk.com/index.php

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Promoção, Que Rei sou eu? - Parte 2

A primeira parte da promoção foi muito fácil... a bunda era do Le Corbusier.

O bônus da primeira parte já não era tão fácil... mas a Naara deixou orgulhosa a classe de arquitetos peruanos e matou a charada, a cicatriz na perna do Corbu foi devido a uma hélice de um barco que o atropelou durante suas férias em Cap Martin, no ano de 1938...

Agora vamos ao segundo desafio, quem é a gatinha aí embaixo? Antes que falem bobagem, ela teve seu papel na história da arquitetura moderna (baita dica, hein???)

Tá tri fácil, até o Gabriel, que achou que o peladão era o S+arck e que a cicatriz era devido a uma mordida do Philip Johnson, é capaz de acertar!!

Lembrando que a nossa promoção não vale nada, mas a promoção do Vista doob servador, vale uma camiseta lindona!!!

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Ir para casa de ônibus ou comprar um maço de cigarros Lincoln e ir a pé?

Paulo Mendes da Rocha em momento "foi bom pra você?"

Pouco tempo atrás, em um intervalo da aula de projeto, uma aluna começou a falar sobre os grandes arquitetos como se estes fossem seres inatingíveis.... pessoas de outro mundo.... e eu tentei explicar para ela que não é bem assim...

Está certo que há aqueles que vestem o manto de Starchitect e esquecem que são arquitetos e qual a função deles no mundo... mas felizmente acho que estes não são a maioria.

Paulo Mendes da Rocha é um Arquiteto que faz parte do time dos mocinhos (ou fazia?) e sua simplicidade é cativante. Eu lembrava ter lido uma entrevista sensacional com ele na revista Projeto, logo depois do Pritzker e graças a boa internet eu a encontrei e compartilho com os amigos, principalmente com os mais novos que não tiveram a oportunidade de lê-la.

Abaixo um dos melhores trechos, onde ele fala sobre os seus trabalhos no período da ditadura militar, após sua saída da FAU/USP:

E quais eram os projetos dessa época?

Eu fiz algumas coisa que não se sabia, mas agora posso contar. Eu pintei porta de loja na rua Augusta. Fazia caricaturas, coisas que serviam de enfeite, feitas com pastel e protegidas com verniz. Há algumas coisas que inventei: fiz um mural num andar alto do edifício Conde de Prates, para a empresa de navegação Hamburg Süd, no qual havia navios e carregadores com sacos na cabeça. Eu fazia de tudo porque tinha filhos. Comecei a trabalhar com um cidadão italiano muito interessante, que tinha uma loja de decoração na rua Augusta. Ali fiz essas cadeirinhas de aço que até hoje estão por aí. Perspectiva para outros arquitetos, para vender prédios, para estande de vendas, fiz várias.


O senhor chegou a registrar alguns desses trabalhos?

Eu não documentava nada. Lembro de uma lojinha que eu fiz, na rua Augusta, coisa de moda. A porta era toda pintada e havia uma senhorita, uma mulher com uma piteira, uma correntinha e um cachorrinho peludo - uma coisa um tanto Toulouse Lautrec. Besteiras que eu não sei como engoliam e me pagavam. Mas eu desenhava bem, desenharia qualquer coisa mais ou menos. Então passei a fazer isso para sobreviver. Lembro que muitas vezes, quando tinha escritório no edificio Filizola e morava num apartamentinho da rua Lisboa, travessa da Rebouças, eu precisava decidir: ir para casa de ônibus ou comprar um maço de cigarros Lincoln e ir a pé? Fiz esse trajeto a pé várias vezes.



O resto da entrevista tu podes encontrar aqui:
http://www.arcoweb.com.br/entrevista/entrevista84.asp#entrevista

terça-feira, 9 de setembro de 2008

"A ereção é uma espécie de construção..."

juli capella diagona barcelonaHotel Silken Diagonal Barcelona
(em primeiro plano a cobertura do acesso às garagens do piço do Nouvel, bem ao fundo edifício -listradinho na vertical, em obras, do Chipperfield)

É interessante como as coisas às vezes acontecem sem querer... quando fui visitar a torre Agbargh do, ainda não Pritzker - Jean Nouvel, eu acabei me deparando com o hotel Diagonal Barcelona, que fica coladinho ao piço do frances...

Um prédio super legal que depois fui pesquisar e descobri que é do arquiteto Juli Capella, que segundo o próprio gostaria bem mais de ser astro de rock, mas mandaram ele fazer algo sério e ele foi estudar arquitetura (não era algo sério?)...

O site do cara é uma das coisas mais legais que eu vi na web nos últimos tempos, completo, divertido, bonito e de fácil navegação:

http://www.capellaweb.com/website/index.html

Além deste hotel ele tem outros projetos geniais, inclusive outro edifício pertinho dali, o Diagonal 203... que é um baita exemplo de boa arquitetura cotidiana.

Diagonal 203

Ahhh.... sobre o título do post, foi retirado do site do cara... ele tem uma coleção de imagens e objetos fálicos (no site, na seção qué pasa por la azotea) e diz: "...o que é arquitetura senão colocar em pé algo que tende a cair? A ereção é uma espécie de construção."

Inclusive, se você tiver algo para contribuir com a coleção, ele pede gentilmente que seja enviado para o seu escritório.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Promoção: Que rei sou eu? - Resultado 1

Essa estava muito fácil... a bunda é do Corbu.

3 pontos para o Henrique, que acertou primeiro
1 ponto para o Martin

O único que arriscou e errou foi o Gabriel, que achou que era a bunda do S+arck...

Se alguém souber o motivo da cicatriz ganha mais 2 pontos de bônus....

Em breve uma nova etapa...

domingo, 7 de setembro de 2008

Causos arquitetônicos... (3)

Histórinha que aconteceu comigo há algum tempo atrás....


Amigo fazendo uma reforma em uma velha casa de dois pisos e queria derrubar uma parede no térreo... vou lá, olho e vejo que essa parede apóia outra no segundo piso, que por sua vez apóia parte do telhado....

Digo pro cara que ele pode derrubar a parede desde que coloque ali uma viga... o mestre-de-obras que estava junto olha e diz que não precisa nada daquilo, que arquiteto só complica e que ele trabalhava com obras fazia muitos anos e que sabia resolver aquilo sem viga.... reforço pro meu amigo a necessidade da viga e ele diz que ainda ia pensar sobre aquela parede.... ofereço pro cara o meu trabalho, fazer um projeto, acompanhar a obra... mas ele diz que precisava só daquela ajuda com a parede e me agradecia (ajuda no idioma desse meu amigo é consultoria sem pagar nada por ela).

Passada uma semana o cara me liga dizendo que parte da casa estava cedendo e pergunta se eu não podia ir lá olhar novamente...

Óbvio que o mestre-de-obras-sabe-tudo havia derrubado a dita parede, mas aí que vem a obra de arte do cara... ele havia desenhado um arco na parede e estava quebrando ela em forma de arco!!! quando eu pergunto o que era aquilo ele responde:

“não sei o que aconteceu, tem ponte por aí que passa caminhão e que tem só um arco embaixo... e olha, eu estava fazendo o arco bem direitinho, até desenhei ele antes de começar a quebrar”

Só faltou ele avisar a parede que quando ela é demolida em forma de arco ela deve se comportar da mesma maneira do que quando construída como um arco....

Ahhh.... tudo foi resolvido com um macaco hidráulico, uma viga metálica e o pagamento da ajuda.


sábado, 6 de setembro de 2008

Pra viajar no cosmos não precisa gasolina...


Site sensacional para quem está viajando para Europa, mora por lá ou simplesmente é fã da arquitetura moderna e/ou contemporânea....

www.mimoa.eu

Um guia de arquitetura online e colaborativo à moda Wiki, com mapas, endereços, horários de visitação... totalmente gratuito e sempre atualizado.

Difícil não ter esse site nos favoritos!

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Calatravices...


Nunca gostei muito da arquitetura do Calatrava e parece que cada vez mais ele trabalha para pessoas como eu não gostarem do seu trabalho... podem me rotular de racionalista ou de modernista-heróico-utopista, não me importo. É impossível gostar de uma arquitetura baseada no desenho da estrutura, quando essa estrutura é cheia de articulações, tensores, mísulas e outros artefatos que deveriam ter uma função estrutural, mas que estão na obra do engenheiro-arquiteto só para dar um maior ar tecnológico-futurista...

E sei que não sou o único a pensar assim e que isso não é novidade... e também que o valenciano não está nem um pouco incomodado com isso e que segue engordando sua conta bancária e prestando um deserviço à arquitetura, um bom exemplo é a sua ponte em Veneza e talvez pior que ela a entrevista que ele concedeu ao El Pais e que foi publicada no último dia 03, onde perguntado sobre a ponte...

P. ¿Por qué la suma inicial que usted calculó, 4,5 millones de euros, se ha disparado a 20?
R. Hice un cálculo que aprobó el municipio. Y éste asignó la obra. A partir de ahí las cosas ya no estuvieron más en mis manos. Mi trabajo se limita a la estética, según lo que prevé la ley.
O resto da entrevista no link:

Ou para quem ainda gosta do cara, esse link de uma matéria de 2007, no mesmo El Pais:

_________
Sobre a imagem do post, ela é parte da revista AV - 70, de janeiro e fevereiro de 2000, um número especial onde compilam 50 adaptações de personagens em quadrinho para o meio arquitetônico... essas adaptações estão (ou estavam?) em uma seção da revista que vem desde 91... e para o quadrinho do Calatrava eles começam dizendo:
Em que parte do mundo dos quadrinhos podia entrar melhor o arquiteto valenciando que no reino de Mongo? É esse mundo de Flash que foi definido certeiramente como uma mistura de soap opera com uma novela futurista. Um mundo barroco, heróico e monumental, fantasiado de de futuro com decoração estratosférica. Um mundo cuja a pior caricatura não estaria longe das falhas valencianas...
E termina:
...Assim coloquei Flash, sua namorada Dale e o temido doutor (calatravra) se questionando frente um sinistra estrutura: Será uma maravilha ou uma armadilha? Uma armadilha maravilhosa.
Para quem não reconheceu, a ponte do quadrinho é a Puente Bach de Roda, em Barcelona.


quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Promoção: Que rei sou eu?

Ontem o ótimo blog Vista doob servador começou uma promoção chamada Deus está nos detalhes, onde eles postam uma imagem de um detalhe de uma obra consagrada e os leitores devem postar o autor e a obra.... cada acerto vale um ponto e o vencedor ganha uma baita camiseta dos caras....

Para fazer propaganda do blog e da iniciativa dos caras, nós também resolvemos fazer uma promoção, só que a nossa não dá prêmio algum... e provavelmente não tenha nenhum participante e por isso não terá segunda etapa.... hehehehehe.... mas tentaremos mesmo assim.... se tiver mais do que 3 participantes a gente faz uma segunda etapa, se chegarmos a 3 etapas, nós pensamos em um prêmio legal, tipo uma noite romântica com a Zaha ou uma tarde em uma colônia de nudismo com o Starck...

Então vamos lá, nós postaremos uma parte do corpo de um(a) grande arquiteto(a) e quem souber quem é a pessoa na foto ganha 1 ponto...

E para seguir o exemplo do Vista doob servador, nós também começaremos com uma foto fácil.... tiramos a cabeça, mas deixamos a bunda...

Então, quem é o arquiteto?

P.S.: Não deixem de visitar o Vista doob servador, vasculhem os posts mais antigos.... mantido por Thiago Beck e Henrique Gonçalves, é um blog que vale muito a visita.

Atualização 6.9 (o dia, não a posição): devido ao protesto do clube de carteado da terceira idade, que considerou o nome da promoção deveras ofensivo, nós mudamos o nome... mas esqueçam, não vamos colocar a tarja

Home Theater

E tem gente que se contenta com uma salinha apertada, com uma LCD de 42" e meia dúzia de caixinhas de som...


A casa é do colega Hagy Belzberg, de Santa Monica, California: www.belzbergarchitects.com
Pena que seja uma solução que dependa de climas secos... aqui no Brasil, acho que só em Brasília mesmo. Mas fica a idéia.

Mais informações e fotos aqui: http://www.thecoolhunter.net/architecture/A-Home-With-The-Coolest-Outdoor-Home-Theatre/

Aliás, vale reiterar a dica do TheCoolHunter, ótimo site que acesso com freqüência.

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

"Glass House" à moda gaúcha

Matéria interessante no ArcoWeb, sobre essa residência no Rio Grande do Sul, projeto de Geder Meotti:

http://www.arcoweb.com.br/arquitetura/arquitetura876.asp

Bastante interessante a simplicidade e a plasticidade das soluções adotadas. Embora não citada no texto, vi alguma analogia com a "Glass House" de Philip Johnson... casa transparente em um retiro rural remoto... gostei.

É... pelo jeito, nem tudo está perdido na Província.

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Eu sou desenhista, não sou babaca não...

Niemeyer e a maquete do centro cultural, em Avilés, que levará seu nome

Há pouco tempo atrás eu comprei em um sebo o primeiro livro escrito pelo Niemeyer (acho que é o primeiro... alguém me confirma?): Quase memórias: viagens, tempos de entusiasmo e revolta, publicado em 1.967. Livro de fácil leitura, onde o já consagrado arquiteto registra parte do seu período de auto-exílio e algumas de suas obras fora do Brasil...

O interessante é que no meu tempo de faculdade eu era um verdadeiro alucinado pelo Niemeyer, mais pela sua imagem, às vezes quixotesca de boêmio e revolucionário, do que pela sua arquitetura.... e nesse período eu li praticamente tudo sobre ele e tudo escrito por ele, mas este livro nunca tinha chegado às minhas mãos.... mas não mudaria muita coisa, porque o seu discurso é o mesmo desde 67....

E nessa de ler novamente as palavras do velho Arquiteto encontrei na internet, a entrevista dele no sensacional Roda Viva em um especial de 1.997, onde ele foi entrevistado (ou simplesmente conversou) com o jornalista Fernando Morais, o poeta e seu velho amigo Ferreira Gullar, o então presidente da Fundação Oscar Niemeyer José Aparecido de Oliveira, o seu engenheiro calculista José Carlos Sussekind, o jornalista Silvio Cioffi, o professor Benedito Lima de Toledo e o Arquiteto Paulo Mendes da Rocha, que ainda não era o Paulinho Pritzker.

Transcrevo um trechinho:

Silvio Cioffi: (...)
o senhor aceitaria ir para a Academia Brasileira de Letras?

Oscar Niemeyer: Não, lógico que não, eu sou desenhista, não sou babaca não...

o resto é imperdível e está no link que vem à seguir:
http://www.rodaviva.fapesp.br/materia/8/entrevistados/oscar_niemeyer_1997.htm


segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Olhando para nosso quintal - Moojen e Marques Arquitetos Associados

croqui MooMAA Arquitetos Associados

Não comecei a gostar e a entender Arquitetura nas salas de aula de PUC.RS, mas sim nas mesas de bar e na viagens que fiz... e um cara fundamental na minha formação foi o Arquiteto José Carlos Marques, o Zé... que foi meu professor e meu orientador de TFG, além de companheiro de chopps no Barranco e viagens à Buenos Aires.... e ainda hoje um grande amigo e apoiador.

O Zé é parte de uma família que respira e transpira arquitetura. Juntamente com o seu pai, o Arquiteto Moacyr Moojen Marques e o seu irmão, também Arquiteto, Sérgio Marques, ele compõe um escritório de Arquitetura com mais de 40 anos de atuação, o MooMAA - Moojen & Marques Arquitetos Associados, que faz parte da história da arquitetura gaúcha e brasileira.

O escritório é um daqueles que empilha premiações e publicações e que faz seu trabalho com uma sensibilidade e um amor à Arquitetura comoventes e inspiradores à qualquer Arquiteto ou estudante.

Vale muito a pena conhecer (e tomar como bom exemplo) o trabalho da família Marques:
http://www.moomaa.arq.br/moomaa.htm - o site está em permanente construção, vale a pena dar uma olhada na seção "desenhos", onde há vários croquis de viagens e observações.

E também ver o último projeto que foi publicado, recentemente, na revista Projeto:
http://arcoweb.com.br/arquitetura/arquitetura875.asp