terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Quanto cabe no vazio?

plaza embajada de israelBuenas e me espalho... é a minha vez de postar no blog neste ano que recém começa.


Em um ensolarado abril eu visitei Buenos Aires pela primeira vez, eu tinha uns 19 ou 20 anos e era um projeto de projeto de projeto de arquiteto... depois de uns 3 dias visitando e estudando a arquitetura porteña estava eu bem tranquilo tomando uma Quilmes, que na época ainda era puramente argentina, quando meu amigo e -até hoje- professor Paulo Cesa me convida para dar uma caminhada e conhecer uma praça que ele tinha visto em uma Summa+... e lá fui eu...

A praça estava há poucos minutos de distância da Plaza San Martin, na Suipacha com Arroyo, ocupando a esquina onde em 1950 foi instalada a embaixada de Israel e que ali funcionou até as 14:50 do dia 17 de março de 1992 quando um carro bomba destruiu completamente o prédio e matou 29 inocentes entre pedestres, membros do corpo diplomático e vizinhos.

Foi realizado um concurso internacional de projetos para construção de uma praça-memorial, concurso que teve cerca de 150 trabalhos apresentados e foi vencido pela equipe formada pelos arquitetos Gonzalo Navarro, Hugo Gutierrez, Patricio Navarro e Hector Fariña que realizaram um projeto bastante simples porém dotado de poética e sensibilidade.

plaza embajada de israel buenos aires argentina
Eles mantiveram a alma do prédio destruído tatuada na empena do prédio vizinho e construíram uma praça com duas lâminas de pedra permeadas por 22 árvores, cada uma representando uma das vitimas que foram identificadas e na empena de outro prédio vizinho, que compõe outra face dessa vazia caixa virtual, foram escritos os nomes das vítimas...

O que mais posso dizer? A primeira vez que estive lá eu fui tomado por um sentimento difícil de descrever e que outras vezes que eu passei por lá esse sentimento não deixou de existir, não sei se o sentimento é catalisado pelo fato de eu ter origem judaica... acho que não, o sentimento de impunidade, o significado e a reflexão presentes no vazio daquela esquina é de umedecer os olhos de qualquer ser humano.

Mais informações:
Página da Wikipedia sobre o atentado.
http://es.wikipedia.org/wiki/Ataque_terrorista_a_la_embajada_de_Israel_en_Argentina

Site com mais informações sobre o projeto.
http://1999.arqa.com/informa/plaz_isr.htm

8 comentários:

  1. Welcome back!
    Não conheço o projeto, mas achei a idéia fantástica. Toda essa busca por significado na recente arquitetura, e só alguns arquitetos encontram momentos tão fortes em atos tão simples.
    A cada dia Buenos Aires me interessa mais.

    ResponderExcluir
  2. passeando por aí, encontrei o blog de vocês e gostei muito!
    voltarei mais vezes!

    ;)

    ResponderExcluir
  3. Essa praça é um lugar cheio de significados. Quando fui ver, também fiquei bastante impressionado. Um ótimo projeto.

    ResponderExcluir
  4. Volte sempre Thaís... dei uma passada no teu blog e achei tri bom!

    ResponderExcluir
  5. Pois é Gabriel... pena que a última vez que passei por lá ela estivesse meio jogada... mendigão dormindo pelos bancos... isso que ela é uma praça cercada... coisas de (não só de) latino américa

    ResponderExcluir
  6. Henrique, Buenos Aires é viagem obrigatória para arquitetos... mas para ti que não está tão perto da argentina como eu, sugiro dedicar uns dias a mais e conhecer também Rosario e Cordoba... tu vai ver como é triste ser arquiteto no Brasil

    ResponderExcluir
  7. Coisas tão simples e ao mesmo tempo tão surpreendentes.

    ResponderExcluir
  8. Natália Bassanesi23/01/2009 10:40

    olá! lindo o projeto, não o conhecia.
    para estudantes de arquitetura, o blog de vocês é ótimo!

    ResponderExcluir